10 de nov de 2011

Não fale comigo


Eu estava voltando pra casa outro dia no metrô e tava mega gripada. Sabe aqueles dias que você só quer que o dia acabe pra voltar pra casa?
Então, era um desses...
Aí, sentei no vagão, me ajeitei e pensei 'ai, que bom. vou tirar um cochilo até em casa. tô quase lá...'
Eu acabo de fechar meus olhinhos, sinto um cutuco no braço.
Abro os olhos e um homem do meu lado pergunta:

_ Você é crente?
_ Não.
_ Tem certeza?
_ Bastante.
_ É que eu vi você assim de saia, cabelo comprido e sem maquiagem e pensei "certeza que essa menina vai em alguma igreja".
_ Não, não sou crente. (e já pensei em mudar minhas roupas, cortar o cabelo e começar a me maquiar como uma vagabunda)

Eu fechei os olhos de novo e pensei que acabou.


_ Mas tem alguma religião?
_ Sim, sou espírita. (isso apavora crentes)
_ Ah, entendi... (certeza que assustei esse cara agora)

Fechei os olhos DE NOVO.

_ Mas é bom falar de Deus, né?
_ Aham (de olhos fechados)
_ Posso contar um milagre na minha vida?

(oh, God, why?)

E ele contou: como saiu a aposentadoria depois de 9 anos de desemprego, como foi que ele chegou a SP em 1979 (e falou em ordem cronológica de todos os anos até aqui), do nascimento das 3 filhas (TODOS em detalhes).

Again - oh, God, why?